VOCÊ NÃO É CRISTÃO SE NÃO NASCEU DE NOVO


Se vou tentar convencê-lo da possibilidade de você não ser um cristão, parece que precisamos definir o que a palavra “cristão” quer dizer. Literalmente, a palavra “cristão” significa “seguidor de Cristo”. De acordo com Atos 11, esse rótulo foi primeiramente usado na cidade de Antioquia, no primeiro século, para descrever homens e mulheres que haviam se vinculado a um grupo de seguidores de Jesus. Provavelmente, foi um termo cunhado na forma de menosprezo, mas os membros da igreja em seus primórdios acabaram adotando o termo e utilizando-o para se autodescrever. O apóstolo Pedro usou o termo “cristão” em sua primeira epístola para sinalizar que seus leitores eram, verdadeiramente, seguidores do Senhor. Nesse texto, ele escreve: “Mas, se sofrer como cristão, não se envergonhe disso; antes, glorifique a Deus com esse nome” (1 Pedro 4.16).

Desembrulhando o assunto um pouco mais detalhadamente, cristão é alguém que ouviu o evangelho, as boas novas acerca de Jesus, e correspondeu confiando em Jesus para a salvação, declarando-o Senhor. Em suma, o cristão crê que:

  1. Somos pecadores, merecendo completamente a condenação de um Deus Santo que odeia o pecado e toda a perversidade.
  1. Deus, em Sua misericórdia, assumiu forma humana na pessoa de Jesus e viveu a vida perfeita de obediência a Deus que nós deveríamos viver.
  1. Ele ofereceu sua vida na cruz para pagar a penalidade pelos nossos pecados, e ressuscitou dentre os mortos em vitória e glória, como Rei prometido de Deus.
  1. Qualquer um que se volta para Jesus em arrependimento e fé é completamente perdoado e adotado na família de Deus.

É isso que distingue o cristão do resto do mundo; o cristão é aquele que recebeu de Deus nova vida espiritual, ou seja, foi regenerado. Jesus deixou claro para nós que isso era tarefa do Espírito de Deus, e que o Espírito de Deus agiria totalmente de acordo com seu próprio prazer, assim como o vento sopra onde quer.

A conversão faz com que viremos às costas ao nosso amor pelo pecado e nos voltemos a Cristo em total confiança e fé, de forma que Ele age, aí nós agimos. Ela abre nossos olhos, para que acreditemos com a mente e coração na sã doutrina, gera em nós uma profunda aversão ao pecado, nos faz perseverar na vida cristã durante a vida, coloca em nós um amor pelas pessoas e ainda tira do cristão, o amor pelo mundo.

Texto extraído e adaptado do livro:
Eu Sou Mesmo Um Cristão? (p. 33-46), escrito por
Mike McKinley. Editora Fiel.

Compartilhar

Textos Recentes