“NUNC DIMITS” – O CÂTICO DE SIMEÃO

“NUNC DIMITS” - O CÂTICO DE SIMEÃO
Compartilhar

“NUNC DIMITS” – O CÂTICO DE SIMEÃO

Lucas 2.28-32

28 Simeão tomou a criança nos braços e louvou a Deus, dizendo: 29 Soberano Deus, agora podes levar em paz o teu servo, como prometeste. 30 Vi a tua salvação, 31 que preparaste para todos os povos. 32 Ele é uma luz de revelação às nações e é a glória do teu povo, Israel!”.

Natal o ano todo, a vida inteira!

Hoje é o último domingo antes do Natal.

Domingo que vem, a essa hora, os presentes já terão sido entregues e quem os recebeu, se não estiver, de alguma forma, desfrutando deles, já os terão guardado. Em pouco tempo eles deixarão de ser novidade. Alguns, aliás, já devem ter ganhado antecipadamente o presente de Natal. Essas pessoas sabem do que estou falando. Passou o frenesi.

A comida que sobrou já terá sido repartida ou congelada. A decoração logo será desmontada. Amigos e familiares em breve viajarão e, para alguns, as festividades já terão acabado… Natal de novo só no ano que vem! É uma pena, mas para muita gente é assim.

Gente, Natal não tem nada a ver com o que acabamos de descrever. Paulo define bem o que é o Natal e como ele pode ser celebrado o ano todo, a vida inteira:

2Co 4.6 | Pois Deus, que disse: “Haja luz na escuridão”, é quem brilhou em nosso coração, para que conhecêssemos a glória de Deus na face de Jesus Cristo.

Jesus também comentou que o Natal existe para que possamos desfrutar da plenitude da glória de Deus em nossas vidas:

Jo 17.24 | Pai, quero que os que me deste estejam comigo onde estou. Então eles verão toda a glória que me deste, porque me amaste antes mesmo do princípio do mundo.

Quando Jesus é o nosso presente, nós conseguimos celebrar o Natal o ano todo, a vida inteira… Sem medo de viver e de morrer! Quer ver? Observe…

Nunc Dimits

Nunc Dimits, o “Cântico de Simeão”, é o último dos cinco “Cânticos do Natal” registrados por Lucas. É um cântico curioso.

Primeiro, porque ele foi cantado 40 dias depois do Natal. Isto é: se fosse em nossos dias, seria como cantar “Noite de Paz” em fevereiro, no domingo de Carnaval! Já pensou?

Jesus havia sido circuncidado ao oitavo dia (Lc 1.21) e tendo completado os dias da purificação, segundo a Lei de Moisés (40 dias após o nascimento da criança), José e Maria levaram o menino ao templo para ser consagrado ao Senhor.

Lc 2.21-24 | 21 Oito dias depois, quando o bebê foi circuncidado, chamaram-no Jesus, o nome que o anjo lhe tinha dado antes mesmo de ele ser concebido. 22 Então chegou o tempo da oferta de purificação, como era a exigência da lei de Moisés. Seus pais o levaram a Jerusalém para apresentá-lo ao Senhor, 23 pois a lei do Senhor dizia: “Se o primeiro filho for menino, será consagrado ao Senhor”. 24 Assim, ofereceram o sacrifício exigido pela lei do Senhor: “duas rolinhas ou dois pombinhos”.

Segundo, o cântico é curioso pelo conteúdo de sua mensagem. Simeão, o seu compositor, estava no templo e ao ver Jesus, toma-o nos braços e canta: Nunc Dimits. Ou seja: – “podes levar em paz o teu servo”“Agora me leve desse mundo”!

Quem cantaria, ou desejaria ouvir, um cântico assim na noite de Natal?

Imaginem a cena: Todos acabaram de desfrutar de uma ceia deliciosa, começam a distribuir e abrir os presentes, a árvore toda iluminada, todo mundo sorrindo, aguardando a revelação de amigo secreto… E ao fundo toca o Cântico de Natal de Simeão – “Nunc Dimits”, “Podes levar em paz o teu servo”, “Agora me leve desse mundo”!

É muito estranho! Quer dizer, estranho para quem não entende o que significa o Natal. Quem não compreende o significado do nascimento de Jesus, jamais conseguirá cantar e desfrutar o Cântico de Simeão nem saberá celebrar a festa da natividade.

O Novo Testamento nos ensina que Jesus nasceu para que pudéssemos morrer, e ele morreu para que vivêssemos. Paulo sabia bem disso.

Gl 2.20 | Fui crucificado com Cristo; assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. Portanto, vivo neste corpo terreno pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.

Quem, pela fé em Cristo, morreu para a sua própria vida e passou a viver pela fé a vida de Cristo, perde o medo de morrer, pois sabe que morrer será incomparavelmente melhor.

Fl 1.21-23 | 21 (…) para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro (…) 23 Estou dividido entre dois desejos: quero partir e estar com Cristo, o que me seria muitíssimo melhor.

Quem está em Cristo não deve achar o Cântico de Simeão estranho; deve, antes, achá-lo impressionante. Afinal, só quem vive a vida de Cristo é capaz de ter algo maravilhoso nas mãos, viver uma vida maravilhosa neste mundo e ainda assim dizer:

Lc 2.29 | Soberano Deus, agora podes levar em paz o teu servo, como prometeste.

“Nunc Dimits” – O Cântico de Simeão

Neste domingo que antecede ao Natal e o penúltimo de 2016, convido você a olhar para o Cântico de Simeão, desejando conhecer o seu segredo, buscando compreender como alguém consegue cantar como ele cantou, na circunstância em que ele cantou.

Ou seja: Como alguém consegue cantar mesmo depois que a festa acaba? Como alguém consegue desejar partir tendo tanto nas mãos? Como alguém consegue celebrar o Natal o ano todo, a vida inteira? Simeão responde que é guardando o coração; abrindo os ouvidos; fixando os olhos; e usando os lábios. Veja…

1. Guarde o coração

Lc 2.25 | Naquela época, vivia em Jerusalém um homem chamado Simeão. Ele era justo e devoto, e esperava ansiosamente pela restauração de Israel.

Diferentemente da maioria das pessoas daqueles dias, inclusive das autoridades religiosas, Simeão era justo e devoto.

[1] Justo porque ele pautava a sua vida pela Lei; ele agia com retidão; ele não maltratava nem explorava o próximo; ele abençoava as pessoas.

[2] Piedoso porque ele praticava as disciplinas espirituais; ele mantinha acesa a chama e o ardor pelo Senhor; seu coração era sensível.

[3] Ainda impressionante é que Simeão, além de justo e devoto, “esperava ansiosamente pela restauração (consolação) de Israel”. Quando seu coração se agitava, fosse pela culpa do pecado, fosse pela ansiedade da vida, ele o redirecionava a Deus.

A expressão “consolação de Israel” é uma referência ao profeta Isaías, que profetizou a chegada daquele que perdoaria a culpa e guardaria em paz os corações de seus filhos.

Is 57.17-21 | 17 Por causa da cobiça do meu povo, fiquei furioso e os castiguei. Afastei-me deles, mas continuaram a seguir seu caminho obstinado. 18 Tenho visto o que fazem, mas ainda assim irei curá-los. Eu os guiarei, consolarei os que choram, 19 porei em seus lábios palavras de louvor. Que eles tenham muita paz, tanto os que estão perto como os que estão longe”, diz o SENHOR, que os cura. 20 “Os perversos, porém, são como o mar agitado que nunca se aquieta e revolve (expele) lama e sujeira sem parar. 21 Para os perversos não há paz”, diz o meu Deus.”

Simeão sabia guardar o coração: dos valores distorcidos do mundo, do cinismo e da hipocrisia da religião, da impiedade do pecado, dos temores de seu coração. Ele era justo, devoto e esperava em Deus.

2. Abra os ouvidos

Lc 2.25-28 | 25 (…) O Espírito Santo estava sobre ele 26 e lhe havia revelado que ele não morreria enquanto não visse o Cristo enviado pelo Senhor. 27 Nesse dia, o Espírito o conduziu ao templo. Assim, quando Maria e José chegaram para apresentar o menino Jesus ao Senhor, como a lei exigia, 28 Simeão tomou a criança nos braços e louvou a Deus (…)

Simeão fez justiça ao seu nome, que significa: “ele ouviu” ou “aquele que ouve”. Três vezes nesses versículos nos é dito que o Espírito Santo falou a Simeão. Falou e ele ouviu.

Ouviu que o Senhor existe e era por ele – “O Espírito Santo estava sobre ele” (v. 25).

Ouviu que a vida não pode ser desperdiçada – “Não morreria enquanto não visse o Cristo”.

Ouviu aonde deveria seguir – “O Espírito o conduziu ao templo”.

Quais são as vozes que você ouve? A quem você dá ouvidos? Simeão abriu os ouvidos para o Espírito de Deus. Ouça o Espírito na Palavra. Como, a seguir…

3. Fixe os olhos

Simeão vivia com o coração bem guardado de tudo o que poderia afastá-lo do Senhor; com os ouvidos bem abertos para a voz do Espírito Santo; e com os olhos fixos nas promessas de Deus em Cristo Jesus.

Lc 2.28-32 | 28 Simeão tomou a criança nos braços e louvou a Deus, dizendo: 29 Soberano Deus, agora podes levar em paz o teu servo, como prometeste. 30 Vi a tua salvação, 31 que preparaste para todos os povos. 32 Ele é uma luz de revelação às nações e é a glória do teu povo, Israel!”.

A forma de fixarmos os olhos em Jesus é olhando para a Palavra de Deus. Lucas, lá no final de seu Evangelho, fala-nos dessa verdade, quando conta a experiência dos discípulos no caminho para Emaús.

Lc 24.25-32 | 25 Então Jesus lhes disse: “Como vocês são tolos! Como custam a entender o que os profetas registraram nas Escrituras! 26 Não percebem que era necessário que o Cristo sofresse essas coisas antes de entrar em sua glória?”. 27 Então Jesus os conduziu por todos os escritos de Moisés e dos profetas, explicando o que as Escrituras diziam a respeito dele. 28 Aproximando-se de Emaús, o destino deles, Jesus fez como quem seguiria viagem, 29 mas eles insistiram: “Fique conosco esta noite, pois já é tarde”. E Jesus foi para casa com eles. 30 Quando estavam à mesa, ele tomou o pão e o abençoou. Depois, partiu-o e lhes deu. 31 Então os olhos deles foram abertos e o reconheceram. Nesse momento, ele desapareceu. 32 Disseram um ao outro: “Não ardia o nosso coração quando ele falava conosco no caminho e nos explicava as Escrituras?”

Aonde você olhou este ano? Aonde você olhará ano que vem? Como foi e como será sua vida de leitura Bíblica? Que plano de leitura você seguirá? Lembre-se: é na Bíblica que conseguiremos fixar os olhos em Jesus. Só assim para o nosso coração arder de prazer.

4. Use os lábios

Simeão… com o coração bem guardado de tudo que poderia afastá-lo do Senhor; com os ouvidos bem abertos para a voz do Espírito Santo; com os olhos fixos nas promessas de Deus em Cristo Jesus, conforme reveladas nas Escrituras… usava bem os lábios para louvar e para anunciar.

Simeão louva porque seus olhos viram a salvação (Lc 2.30-32), seus ouvidos ouviram o Espírito e seus pés não tropeçaram no Messias prometido de Deus:

Lc 2.33-35 | 33 Os pais de Jesus ficaram admirados com o que se dizia a respeito dele. 34 Então Simeão os abençoou e disse a Maria, a mãe do bebê: “Este menino está destinado a provocar a queda de muitos em Israel, mas também a ascensão de tantos outros. Foi enviado como sinal de Deus, mas muitos resistirão a ele. 35 Como resultado, serão revelados os pensamentos mais profundos de muitos corações, e você sentirá como se uma espada lhe atravessasse a alma”.”

Os lábios dos salvos jamais deverão parar de cantar a alegria de não terem tropeçado nem caído ao ouvirem de Jesus. Muitos ouvem e tropeçam, mas aqueles que ouvem e creem são soerguidos, têm seus pecados perdoados e seguem no caminho da paz.

Simeão utiliza seus 1 lábios para louvar a Deus e 2 para anunciar a salvação de Jesus para todo aquele que nele crer.

“Nunc Dimits” – O Cântico de Simeão

Você quer poder cantar, mesmo depois que a festa acabar?

Deseja partir sem pesar, mesmo tendo tanto nas mãos?

Anseia por celebrar o Natal o ano todo, a vida inteira?

  1. Guarde o coração daquilo que te afasta de Deus
  2. Abra os ouvidos para o Espírito de Deus
  3. Fixe os olhos nas promessas de Deus em Jesus
  4. Use os lábios para louvar a Deus e para anunciar a salvação

Agora, enquanto não partimos para estar com o Senhor, vivamos com Paulo viveu, pela fé no Filho de Deus:

Fl 1.20-26 | 20 Minha grande expectativa e esperança é que eu jamais seja envergonhado, mas que continue a trabalhar corajosamente, como sempre fiz, de modo que Cristo seja honrado por meu intermédio, quer eu viva, quer eu morra. 21 Pois, para mim, o viver é Cristo, e o morrer é lucro. 22 Mas, se continuar vivo, posso trabalhar e produzir fruto para Cristo. Na verdade, não sei o que escolher. 23 Estou dividido entre os dois desejos: quero partir e estar com Cristo, o que me seria muitíssimo melhor. 24 Contudo, por causa de vocês, é mais importante que eu continue a viver. 25 Ciente disso, estou certo de que continuarei vivo para ajudar todos vocês a crescer na fé e experimentar a alegria que ela traz. 26 E, quando eu voltar, terão ainda mais motivos para se orgulhar em Cristo Jesus pelo que ele tem feito por meu intermédio.

Morrer sempre será lucro para aqueles cujo viver é Cristo e o progresso do outro na alegria da fé. Vivendo ou morrendo, ele conseguirá cantar:

“Nunc Dimits”, “Podes levar em paz o teu servo”, “Agora me leve desse mundo”!

No entanto, se Cristo não for a sua vida, você seguirá até o fim com culpa, com medo, com dor e com ansiedades. A morte será sempre um tormento e a vida um fardo.

Receba a Jesus e saia daqui cantando como Simeão e servindo como Paulo – buscando para você e para o próximo crescimento na fé, experimentando a alegria que ela traz.

“Nunc Dimits”, “Podes levar em paz o teu servo”, “Agora me leve desse mundo”!

Feliz Natal o ano todo, a vida inteira!

Compartilhar