Resolva não ser instrumento do tentador


Satanás nos tenta diretamente, trabalhando em nossas emoções, e nos tenta indiretamente por meio de outra pessoa, como um membro da família, amigo, colega de trabalho ou até mesmo um estranho. Geralmente essa outra pessoa é descrente, mas, conforme Paulo diz, em Romanos 14, essa pessoa também pode ser um crente que atue como instrumento de Satanás.

A motivação para tentar alguém a pecar poderá ser a gratificação da carne. Uma pessoa tem alguma necessidade ou desejo e tenta a outra para ajudá-la a satisfazer a si mesma. Ou quer minorar sua culpa envolvendo outra pessoa no pecado. Qualquer que seja a motivação, quando os cristãos se permitem tentar outros a pecar, eles se tornam mais como demônios. Jesus pronuncia uma maldição divina sobre os que tentam outros a pecar. O tentador melhor seria morto do que vivo. Jesus era justificadamente extremo em sua palavra contra alguém que induz outro crente a se desviar. Já é ruim pecar pessoalmente contra Deus e levar a pena por esse pecado, mas ao tentar outra pessoa a pecar, o tentador se torna propagador e catalisador do pecado.

Jesus pronuncia uma maldição sobres aqueles que tentam outros a pecar. A palavra ‘ai’ anuncia a destruição que está para vir. Em Mateus 23, Jesus usou esta palavra sete vezes, pronunciando o castigo ao dizer: “Ai de vós, escribas e fariseus”. Estes ais de Jesus continuam hoje. Ai do esposo que não demonstra amor para sua esposa, assim ensinando o filho recém-casado a não dar importância a amar sua jovem mulher. Ai da esposa que não se submete a seu marido, mostrando à sua filha recém-casada que não é importante dar apoio ao jovem noivo como cabeça da família. Ai do jovem que, para sustentar sua família, assume emprego cuidar de um bar, cujos atos levam outros a pecar por meio do álcool. Ai da jovem que se veste sedutoramente, despertando pensamentos pecaminosos em um jovem temente a Deus. Pode ser que você proteste que conhece pessoas que tentem outros a cair, mas não os vê sofrendo quaisquer consequências ruins. Estão passando muito bem. Meu amigo, a única coisa que sabemos sobre outra pessoa é aquilo que vemos e ouvimos dizer. Muitas vezes, não sabemos quando as pessoas estão sem temperança. Não conhecemos as suas lutas internas de dor e sofrimento. Não sabemos o quanto tentar os outros a pecar tem estragado suas vidas e famílias, causado divisão nos filhos, e feito seu trabalho entrar em pane. Não sabemos o quanto o peso daquele pecado fere seus corações e ofusca seus pensamentos. Fato básico é o seguinte: Não podemos, de maneira nenhuma, agir como ferramentas de Satanás, levando uma pessoa a pecar. Pagaremos muito caro por isso. Ore a cada dia para que você jamais fira o nome do seu Salvador. Implore perdão de Deus por qualquer coisa que tenha feito inadvertidamente para influenciar outras pessoas a tropeçar na caminhada com Deus.

Texto extraído e adaptado do livro:
Lutando contra Satanás, págs. 140 a 143, escrito por
Joel R. Beeke. Editora Fiel.

Compartilhar

Textos Recentes