PAIS QUE ABENÇOAM, HOMENS QUE ORAM


Abençoar os filhos é parte de uma rica herança bíblica. No Antigo Testamento, os pais regularmente pronunciavam bênçãos em forma de orações sobre os seus descendentes. Da perspectiva do Novo Testamento, já que todo cristão é chamado para exercer o “sacerdócio real” (1Pe 2.9), um dos nossos privilégios enquanto pais é abençoar com as nossas orações, invocando o nome de Deus sobre a vida dos nossos filhos, buscando a bênção do Senhor para eles (cf. Nm 6.22-27). Mas, como e pelo que orar?

Claro que, em nosso tempo a sós com Deus, devemos sempre separar momentos para orar pelos filhos. Além disso, faremos muito bem se orarmos com eles. Nosso clamor audível aos seus ouvidos revelará de forma doce o nosso amor, reforçará a realidade de Deus em suas vidas e revigorará nos seus corações a fé no Senhor.

Nesse empenho, nossas orações pelos filhos deverão ser recheadas com alguns elementos essenciais. O principal deles é a certeza da salvação. Suplique ao Pai que os salve e os mantenha na alegria do primeiro amor, com desejo ardente de manterem comunhão, provando e vendo que o Senhor é bom; as bênçãos espirituais em Cristo devem ser o doce sabor a sustentar seus corações em todos os momentos.

Suplique para que eles amem orar e conhecer as Escrituras. Interceda pelos pecados deles. Ensine-os a orar pedindo perdão e graça para mudarem e buscarem santificação. Nossos filhos precisam também de esperança, de descanso, de conforto e de liberdade espirituais, e as nossas súplicas serão o canal de Deus para abençoá-los com tais graças.

Precisamos pedir que Deus os abençoe em suas amizades, relacionamentos, casamento e no convívio com os filhos. A integração e o serviço deles, em e através de uma igreja local, jamais deverão ser, por nós, negligenciados. Nossos filhos também precisam da plenitude do Espírito em suas vidas, de sabedoria bíblica em suas ações, pois são carentes da direção, da proteção e da provisão de Deus. Orando é que nós conseguiremos ver a bênção de Deus fluir na vida deles; ficaremos felizes e realizados ao perceber que eles vivem com os olhos na eternidade, vivem na esperança da vida eterna.

Abençoe seus filhos. Ore por eles. Ore com eles. Quando você não souber pelo que orar, abra o Texto Sagrado e se paute pelas palavras da Escritura. Imagine a cena: você e seu filho ajoelhados, com a Bíblia aberta, por exemplo, em Efésios 3.16-21, um orando pelo outro as palavras de Paulo. Não há bênção maior! Que o Senhor faça de nós pais que abençoam, nos transforme em homens que oram.

Com carinho, Pr. Leandro B. Peixoto

Compartilhar

Textos Recentes