Guerra Santa


Satanás odeia o verdadeiro crente por ele ser portador da imagem de Cristo, feitura especial de Deus, criado em Cristo Jesus para as boas obras, e porque foi arrancado do poder de Satanás. Pela graça, reconheceu a Cristo como Senhor e Mestre. Testifica como Pedro: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” ( Mt16.16).

Satanás quer o cristão de volta. Como Jesus disse a Pedro: “Simão, eis que Satanás vos reclamou para vós peneirar como trigo!” ( Lc 22.31).

Não exagere nem subestime Satanás. Ele não é Deus, nem mesmo uma divindade caída, e não é todo poderoso. É apenas um anjo caído. No entanto Satanás é um inimigo poderoso. John Blanchard escreveu: “Somos opostos por um inimigo vivo, inteligente, astuto e cheio de recursos, que consegue sobreviver ao mais antigo cristão, trabalhar mais que o mais operoso, brigar mais do que o mais forte, e pensar com mais argúcia do que o mais sábio”. Todo verdadeiro crente está envolvido no que a bíblia descreve como guerra espiritual (Gn3.15; Ap 12.7).  Jonh Bunyan a chamava de guerra santa. Essa guerra espiritual, envolve uma perpétua batalha contra três inimigos: o diabo, o mundo e a carne.

A luta contra Satanás e seus demônios é feroz, e envolve forças das trevas. Principados das trevas, potestades e poderes estão sob domínio e autoridade de Satanás e estão sujeitas as suas ordens, os demônios, se deleitam em cumprir. O exército de Satanás é agressivo, maligno e cruel, e seu poder está nos altos lugares e em redor de tudo. É poderoso demais para que consigamos lutar com nossas próprias forças contra ele, mas não podemos fazer concessões a Satanás, nem nos entregamos a ele. Pelo contrário, temos de resisti-lo conscientemente, seguindo as instruções da Bíblia para obtermos vitória (Tiago 4.7).

A luta contra Satanás e seus demônios é espiritual. Não lutamos contra inimigo com armas de fogo, tanques militares, ou armas nucleares nem lutamos apenas contra carne e sangue. Conforme Paulo escreve aos Efésios: “a nossa luta não é contra o sangue e a carne, é sim contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes”. Esta batalha não é por poder mundano, posses ou honras, diz Paulo. Ela mira mais alto, para as realidades espirituais da verdade, justiça e glória de Deus e do seu Filho. Por trás de nossos inimigos visíveis de carne e sangue está um exército de adversários espirituais invisíveis. Lutamos contra o poderoso, invisível, inumerável exército de Satanás. A luta é um conflito espiritual muito próximo. É intenso e de grande esforço. Na luta corpo a corpo, os oponentes não mantêm distância um do outro; eles se agarram. Quer como príncipe das trevas, quer como anjo de luz, Satanás nos envolve mão com mão, e pé com pé, em uma batalha espiritual de vida e morte.

Texto extraído e adaptado do livro:
Lutando contra Satanás (p. 13-15), escrito por
Joel R. Beeke. Editora Fiel.

Compartilhar

Textos Recentes