CELEBRANDO O EXTRAORDINÁRIO AMOR DE DEUS


Hoje é véspera de Natal! Estamos a poucas horas da queridíssima festa cristã.

Todo mundo costuma gostar desta época do ano: as pessoas parecem ficar mais generosas; as decorações deixam os ambientes mais bonitos e aconchegantes; as músicas tocadas evocam doces sentimentos, recheados de boas lembranças; o 13o salário traz um pouco de alívio financeiro; as confraternizações dão trégua para a rotina pesada do dia a dia de trabalho; mensagens e presentes alegram o coração de quem dá e de quem recebe… Enfim, Natal é uma época especial do ano, tanto para cristãos como para quem não tem fé nenhuma. Afinal, Natal é o único “dia santo” cristão que também representa um feriado secular importante, especialmente para o comércio. Certamente que, pelo tamanho das cifras movimentadas no final de cada ano, o Natal haverá de perdurar.

O que se celebra no Natal? Cristãos afirmarão, corretamente, que no Natal nós celebramos o nascimento de Jesus. O próprio nome revela isto: “Natal”, do latim “Natalis”, tem sentido de “nascer”.

A verdadeira data do nascimento de Cristo é desconhecida. Alguns dirão que foi em março (final do inverno e início da primavera em Israel), enquanto outros dirão que foi no início do outono (que naquela região do planeta vai de setembro a dezembro; lá o inverno ocupa os meses de dezembro a março).

Março? Setembro? Outubro? Novembro? Quando nasceu Jesus? A bem da verdade, não existe uma estimativa que historicamente possa responder a esta questão, para alguns, intrigante. Nossa única certeza é que o dia 25 de dezembro é uma data meramente simbólica e ilustrativa, mas de acontecimento absolutamente real e fundamental. Se vejo problema em celebrarmos no dia 25 de dezembro o nascimento de Jesus Cristo? De forma nenhuma! Jesus nasceu de verdade e este fato precisa sim ser celebrado em algum momento de cada ano, até que ele volte para buscar sua igreja gloriosa.

Por que Jesus nasceu? Jesus nasceu, conforme lemos no Evangelho de João (3.16), porque Deus amou o mundo. Logo, celebra-se no Natal o extraordinário amor de Deus pelo mundo com o nascimento de Jesus: enviando-nos o Cordeiro de Deus para ser o substituto no lugar do pecador; salvando da justa condenação de Deus todos os que creem; trazendo-nos luz para revelar quais são os nossos amores (afinal, são por eles que vivemos ou morremos); dando-nos salvação, significado e satisfação para viver. É isto, portanto, que nós celebramos no Natal: o extraordinário amor de Deus — que envia Jesus, salva o pecador, traz a luz da verdade e da vida, e nos dá sentido para viver.

Você já provou deste amor? Já recebeu Jesus com arrependimento e fé? Não? Arrependa-se e creia em Jesus. O extraordinário amor de Deus, a vida e a obra de Jesus, é o que nos salva e nos transforma radicalmente. Arrependa-se, portanto, e creia em Jesus. Celebre o extraordinário amor de Deus. Esse, afinal, é o real sentido do Natal.

Feliz Natal!

Com carinho, Leandro B. Peixoto.

Compartilhar